31/01/2005

enquanto houver estrada para andar...

Foi ontem, algures entre a praia da Areia Branca e Lisboa, perdidos na noite da auto-estrada que mais uma vez demos voz ao Jorge Palma.

Aqui fica esta para todos e para alguns em especial:

Tira a mão do queixo, não penses mais nisso
o que lá vai já deu o que tinha a dar
quem ganhou, ganhou e usou-se disso
quem perdeu há-de ter mais cartas para dar
e enquanto alguns fazem figura
outros sucumbem à batota
chega aonde tu quiseres mas goza bem a tua rota

Enquanto houver estrada para andar
a gente vai continuar
enquanto houver estrada para andar
enquanto houver ventos e mar
a gente não vai parar
enquanto houver ventos e mar

Todos nós pagamos por tudo o que usamos
o sistema é antigo e não poupa ninguém
somos todos escravos do que precisamos
reduz as necessidades se queres passar bem
que a dependência é uma besta
que dá cabo do desejo
e a liberdade é uma maluca
que sabe quanto vale um beijo

Enquanto houver estrada para andar
a gente vai contiunuar...

Jorge palma ("só")

3 comentários:

manamagana disse...

estrada fora, Jorge Palma, um gordicho entusiasmado e já um bocadinho alegre... será que essa de alguns em espacial tinha alguma coisa a ver connosco?

manamagana disse...

Enquanto houver estrada para andar a gente vai continuar...
Jorge Palma, viagem à noite, um gordicho com um copito... acho que estes alguns em especial fazem-me lembrar alguém.

este é um segundo post porque o primeiro nunca saiu. Se ficar repetido please perdoem-me que sou maçarica nestas coisas.
beijos

Jordi disse...

Isso é a letra do hino dos Templários, não era?
Já não me lembro bem... Foi uma noite um pouco turva,