21/07/2008

Monte Branco - Foto reportagem


(Cume do Monte Branco)

Levantámo-nos da cama às 0:00 depois de não termos dormido.
Eu pelo menos não preguei olho o que me deixou extremamente cansado. Para além da ansiedade e do calor o ruído provocado pelos outros hóspedes impediu-me de dormir e descansar o necessário para a empreitada a que nos propusémos.


O pequeno almoço foi servido à 1:00 e pelas 2:30 fomos a última cordada a deixar o refúgio que ficou vazio pois as previsões meteorológicas eram excelentes e todos os que por lá passaram levavam o mesmo destino: subir ao Monte Branco
.

Mesmo sem lua o caminho era fácil de identificar pois havia um comboio de luzes, agarradas à cabeça dos outros alpinistas pela encosta acima.

A passo lento fomos ultrapassando algumas cordadas e quando o sol acordou já estávamos a cruzar o col du Maudit. Eram 6:00 da manhã e ainda nos faltavam uns metros até ao cume.

Levámos 3 horas a percorrer esses metros pisando o cume às 9:00 em ponto.

Metade estava feito. O cansaço, a ligeira dor de cabeça e a preocupação pela descida não deixaram espaço para grandes festas e em 10 min estavamos a iniciar a descida que se revelou bem pesada.

Em 3 horas atingimos os 3800 m do refúgio Gouter que é uma casa literalmente pendurada na falésia de onde eu tentei convencer os meus companheiros a não sair nesse mesmo dia. O cansaço era tanto que não me imaginava a descer mais 1300 m, durante mais de 3 horas até à estação do Tramway du Mont Blanc.

O guarda do refúgio tratou de resolver o assunto e mandou-nos para baixo. Desçam que não há lugar e não ficam aqui a fazer nada!

Comi uma sopa, bebi um chá e mais 1l de água e o alento voltou.

A descida deste refúgio é a coisa mais perigosa que fiz na vida pois é muito frequentada e a chuva de pedras é frequente...

Felizmente saímos são e salvos e pelas 16 h estávamos junto ao comboio... de rastos e sem unhas nos pés.

Foto reportagem completa aqui.

Sem comentários: